David Brazão, Willy S. e Zé Spanhol

David Brazão

David Brazão é natural da cidade da Praia. Cedo enveredou pela música através da influência do tio Duia, ex-baterista dos Tubarões, dos primos Kim, Kako e Tó Alves e dos irmãos Papo e Nery sendo este um dos “DJ Nós Manera”.

Em 1998, gravou na Holanda o seu primeiro CD intitulado “ Interecera”. O trabalho contou com a participação de Djoy Delgado, Danilo Tavares, Johnny Fonseca, Suzanna Lubrano, Dabs e Milena Tavares.

Cinco anos mais tarde, grava o segundo trabalho de nome “Memoria” com o qual faz muito sucesso e no qual participaram Kim Alves, Jorge Rosário, Gama, Paulinha, Bela e Djudja.

Em 2008, lança o seu terceiro CD “Nha Amada” gravado por Kim Alves, Jorge Rosário, Thierry Domergue, Geraldine e Meno Pecha. Em 2010 lança “Sinal de Paixão” o seu 4º CD que é também DVD.

O seu quarto trabalho, “Bu Ta Vive Dento Mi”, foi lançado em 2012.

Em 2015, lançou o seu sexto CD intitulado “Deus ki ta manda”. O trabalho com 12 faixas de vários estilos como “Funaná, Coladeira, Colazouk, Azonto e Kizomba”, foi gravado entre três países – Cabo Verde, Portugal e França.

 

 

Willy Semedo

Wilson D’Agoras Semedo, de nome artístico Willy Semedo, nasceu em Santiago em 1988.

Aos 16 anos começou escrever as primeiras letras. Aos 17 anos viajou para Portugal, aonde começou a ter mais contato com a música- Com o apoio de vários produtores, sobretudo de Beto Duarte, decidiu trabalhar no seu álbum a solo, mas antes participou com uma música no Projeto “Sábi Dimas” em 2012.

Em 2013 lançou o seu primeiro disco intitulado "Um só Sonho".

Dois anos mais tarde, lançou "De Corpo e Alma", composto por 14 faixas nos géneros funaná e kizomba.

Com este álbum tem atuado em vários países bem como em Cabo Verde.

 

Zé Espanhol

Zé Espanhol é considerado uma das vozes do funaná moderno. O cantor tem 39 anos tem-se destacado e reside em Portugal. Começou por cantar como cantor de funaná, em 2008 ao lado do cantor Zé di Tuta.

Foi convidado para participar no projeto musical “Verão 2008” pelo produtor Dabs Lopes. Dá concertos um pouco por todo a diáspora, principalmente na Europa, mas também faz sucesso nas pistas de danças e nos festivais em Cabo Verde.

Em 2014, venceu o seu primeiro prémio CVMA na categoria Melhor Funaná com o tema “Zé di Nhinha sem bo”.