Público do Santa Maria rende-se à banda Splash e a Yuri da Cunha

A banda Splash e o artista angolano Yuri Cunha deixaram em êxtase os festivaleiros e fecharam em grande o primeiro dia da 26ª edição do Festival da praia de Santa Maria. A noite ficou também marcada pelo tributo a Ildo Lobo.

Splash

Splash

O Sol já raiara quando terminou, hoje, o primeiro dia de espetáculos da 26ª edição do Festival de Santa Maria, que, através de um coletivo de vozes nacionais, homenageou Ildo Lobo.

Às 08:00 da manhã havia ainda uma praia repleta de gente, de fãs a cair aos pés da banda Splash. Apesar de iniciar com duas horas de atraso, a primeira noite de festival arrancou com um areal um pouco tímido.

Já passava da meia-noite ainda uma fila enorme de pessoas aguardava para entrar por uma única entrada disponibilizada ao público.

A Banda Municipal, que foi coadjuvada por alunos e professores da Escola Municipal de Artes Tututa, apresentou aos festivaleiros um repertório de músicas tradicionais, numa performance a arrancar fortes aplausos do público.

Um dos grandes momentos da noite foi a apresentação do coletivo de homenagem a Ildo Lobo, um dos mais ilustres filhos da ilha do Sal, uma das vozes masculinas que mais exaltou a morna, coladeira e funaná, a música tradicional cabo-verdiana.

Ildo Lobo foi cantado nas vozes de Sádia Youssouf, Sílvia Medina, Tito Paris, Dino de Santiago, Mirri Lobo, Toy Pinto, Mayra Andrade, Lura. Os grandes sucessos de Ildo Lobo foram entoados por todo areal.

No final, o único representante da família Lobo engrandeceu a figura do Ildo Lobo e agradeceu o gesto da organização do certame. “Ildo é uma figura incontornável da música cabo-verdiana e é merecedor desta homenagem”, sublinhou Mirri Lobo.

Elji, Mika Mendes e ATIM foram recebidos aos gritos pela malta jovem e fizeram subir a temperatura de um areal que até a altura tinha sido embalado ao som de mornas e coladeiras.

O trio teve a ajuda de um coro sonante do início ao fim do espetáculo. Os fãs tinham as letras todas na pontinha da língua. Mais uma apresentação para não esquecer foi de Yuri da Cunha que, acompanhado de suas bailarinas, fez Santa Maria dançar ritmos angolanos do início ao fim.

No final, o artista disse estar emocionado com “a receção calorosa do povo cabo-verdiano”. Já era de manhã quando o último grupo da noite entrou em cena. Splash foi a chave para fechar a primeira noite.

Foi um momento marcante para dançar e relembrar os grandes sucessos.

O espetáculo só terminou quando eram 08:00 com um areal ainda cheio de gente. A primeira noite do festival foi também marcada por muito civismo e sem registos de grande importância junto da Polícia Nacional, Proteção Civil e Cruz Vermelha.

Hoje há mais, logo à noite, a começar pelo Coletivo Carnaval (Midel Vip e Trio Babel), Tubarões, Elida Almeida, Nelson Freitas e para fechar a 26ª Edição do Festival de Praia de Santa Maria o reggae-man Alpha Blondy.

 

ARTIGO ATUALIZADO A 15 DE SETEMBRO

SAPO c/ Inforpress